segunda-feira, 20 de outubro de 2008

Risoleta, minha preta.

Preta preta pretinha, Preta preta pretinha
Preta preta pretinha, Preta preta pretinha


Enquanto eu corria assim eu ia, lhe chamar enquanto corria a barca
Lhe chamar enquanto corria a barca
Por minha cabeça não passava
Só somente só assim vou lhe chamar assim você vai ser
Só somente só assim vou lhe chamar assim você vai ser


Abre a porta e a janela e vem ver o sol nascer
Abre a porta e a janela e vem ver o sol nascer
Eu sou um pássaro que vivo avoando
Vivo avoando sem nunca mais parar
Ai ai ai ai saudade não venha me matar
Ai ai ai ai saudade não venha me matar
Eu ia lhe chamar enquanto corria a barca
Eu ia lhe chamar enquanto corria a barca


(Moraes Moreira)

E acho que foi por causa dessa música que meu pai sempre me chamou de Preta e às vezes eu sinto uma saudade imensa de ser chamada assim.

9 comentários:

SGi/Sonia disse...

Passeando...
Passeando...
Encontrei um jardinzinho todo florido.
De quem?
Da Carlinha, que tinha uma nova janelazinha cheia de sol e flores e eu nem sabia que tinha...
Cada história hein?
Tão bonitinho.

Beijins com Felicidades sempre:)

Nina disse...

Pretinha! vc tem que escrever mais! olha aí, a soninha nem sabia que tu tinha esse lugarzinho no jardim...

Nine disse...

Oiiiii....sou Aline..descobri seu cantinho e achei muito 10 ,memorias naõ são memso só memórias saõ parte da gente!!

quando tiver um tempinho passe pelo emu cantinho...beijinhos..nine

Chris disse...

Adorooooo essa musica!! Tem o maior embalo!
Entao pretinha, otimo dia para vc!!

Beijaoooo

_+*A Elite in Paris*+_ disse...

Não conhecia a musica!

Beijo meu ♥,

A Elite

Meu Interno disse...

Eu acho que essa música é pra mim...rsrsrrs
Amo-te

Carol disse...

Meu vô me chama de Preta desde pequena.Vou dividi o melhor vô do mundo com você,tá?Quando ele me chamar de Preta,vou enviar a voz dele pra você.Vamos dividir meu pai :)

Nina disse...

risoleta minha preta por onde tu andas??

Carol disse...

Gente, eu toda preocupada com os posts que perdi e vejo que a mulher nunca mais passou aqui. Eu, hein!